Mais Cinco

Review: os clássicos do Outback ainda valem a pena?

A rede Outback lançou nova campanha para ressaltar os grandes sucessos do cardápio da marca, como a famosa cebola empanada e a costela com molho barbecue. Depois de algum tempo sem frequentar o restaurante, fomos lá conferir se dez anos depois do boom da franquia no Brasil, a qualidade foi mantida.

Para uma experiência completa, não podia faltar o chope na icônica caneca gelada. Como sempre, a bebida veio na temperatura perfeita. Depois, como entrada comemos um aperitivo perfeito para quem está indeciso. O chamado “Big Five Boomerang” sai por R$ 79,90 e dá a oportunidade de experimentar um mix dos mais vendidos da rede: asinhas de frango, babata frita com bacon, costelinha, pétalas de cebola empanada e um camarão temperado. A tábua acompanha os deliciosos molhos tipo bloom e blue cheese. Por R$ 79,90, o prato serve bem três ou quatro pessoas e é perfeito para matar as saudades ou conhecer todos os hits da marca de uma só vez.

Como prato principal, optamos pelo Rockhampton Ribeye (R$ 96,90). Seguimos o conselho do nosso atendente e deu bom: o tempero Chargrill é condimentado com toque de café, mas o sabor não é tão marcante, deixando a carne brilhar por si própria. Como já tínhamos comido uma entrada, acabamos dividindo o prato, mas se a fome for grande, a versão é realmente individual e, com isso, o preço fica mais puxado.

Para encerrar a refeição, experimentamos uma novidade do menu: a Choco Cinnamon Banoffee (R$ 34,90). Assim como outras sobremesas do Outback, a porção é bem servida. Mas, na ânsia por entrar na moda das banoffees, que vêm atraindo um público crescente no Brasil, a rede acabou fazendo uma sobremesa que foge ao padrão Outback. Em resumo, é um doce apenas ok, não memorável. Como reforça a campanha da marca: melhor optar pelos sabores clássicos, estes sim, seguem fazendo jus à fama que têm.

Considerações finais: o Outback segue entregando pratos saborosos, em especial aqueles que são hits do cardápio. Porém, há de se ressaltar que as porções são menores do que eram feitas dez anos atrás e o preço segue sendo salgado, em especial os pratos principais. Para um happy hour, quando as bebidas entram em promoção, vale mais a pena!

*Este é um artigo de opinião. As opiniões aqui expressas são as da autora e não refletem o posicionamento do veículo Mais Cinco. A refeição foi uma cortesia do estabelecimento.

Leia também:

Panetone em Goiânia: fizemos uma degustação às cegas de 5 chocotones goianos

Black Sushi: uma experiência singular em comida japonesa em Goiânia

Resenha: conhecemos o Luce, novo restaurante de comida italiana em Goiânia

Luísa Gomes

Editora do Mais Cinco | Jornalista especializada em comunicação empresarial e conteúdo para web | Apaixonada por viagens, cachorros e chocolate

Your Header Sidebar area is currently empty. Hurry up and add some widgets.