Sexta edição do Piri Bier tem tour cervejeiro gratuito, em Goiânia
03 Out 2017

Sexta edição do Piri Bier tem tour cervejeiro gratuito, em Goiânia

A sexta edição do festival de cervejas artesanais Piri Bier ocorre de quinta-feira a domingo (5 a 8), no shopping Passeio das Águas (@passeiodasaguas). Os ingressos custam R$ 30 por dia e os horários do festival são diferenciados: quinta e sexta, das 18h às 2h; sábado, das 14h às 2h e domingo, das 14h às 20h. 

A proposta dessa edição é reunir  música, grastronomia, degustação, harmonização e palestras da área, sem esquecer do principal: mais de 200 rótulos de cerveja artesanal, em uma seleção criteriosa que contemple a produção goiana e dentro da ideia do “Beba menos, beba melhor”. Uma das novidades no evento é o “Roteiro Cervejeiro”: o público interessado em conhecer melhor o universo da cerveja  terá o auxílio de guias ao longo do festival, que orientarão gratuitamente um tour, de modo a explorar a ampla variedade de estilos e combinações.

A alta gastronomia marca presença: entre os chefs renomados, participam do Piri Bier a paulista Paula Labaki (@plabaki), proprietária do Lena Labaki Catering e uma das integrantes dos bastidores do Master Chef; além dos goianos Thiago Miguel (@chefthiagomiguel) e Thiago Matheus, que elaboraram pratos destinados à harmonização. O festival oferece ainda um cardápio típico alemão, assinado pela Naturbier.

Quanto à programação musical, na quinta (5), a atração é Grace Carvalho, com samba rock e pop; na sexta (6), os brasilienses On The Rocks, com rock clássico nacional e internacional; no sábado (7), a banda goiana Liga Joe se apresenta; e no domingo (08) Grace Carvalho retorna aos palcos com o show Samba da Pesada. 

 

Análise sensorial e harmonização     

Uma das presenças especiais é a do chef cervejeiro Ronaldo Rossi, considerado o embaixador do Piri Bier. Ele é responsável pela análise sensorial de cervejas selecionadas, a ser realizada na quinta-feira (5), às 19h30. De acordo com ele, na análise haverá a explicação de aspectos técnicos em uma linguagem acessível. “Explico um pouco o que se procura na parte visual, nos aromas, nos sabores, no retrogosto. Então a gente vai descrever a proposta de malte, que é uma coisa, a de lúpulo, que é outra, pra mostrar pra galera que as receitas de cerveja têm uma infinidade de possibilidades. Nesse campo, você praticamente não tem limites”, pontua.     

Já na sexta-feira (6), às 19h30, o chef vai conduzir uma degustação harmonizada, com cervejas combinadas a pratos. “O maior objetivo da harmonização é buscar a formação de um terceiro sabor. É onde a coisa fica muito legal, muito mais rica”, aponta Rossi. “Você trabalha com a semelhança ou o contraste. Na semelhança, você busca características em comum na cerveja e no prato. Caramelização, chocolate, um aroma cítrico, uma adição de alguma fruta, etc. O contraste é o oposto, você busca características que não são iguais, mas complementares. Então, você pega um queijo, que vai trazer uma questão láctea bastante pronunciada, e você soma a esse queijo, por exemplo, uma Stout, que vai trazer uma proposta de café. Daí você cria algo como se fosse o café com leite”, exemplifica. “A ideia no Piri Bier é que além das cervejas locais, os pratos também tenham elementos goianos na harmonização”, finaliza.

A participação na degustação e harmonização orientadas está condicionada a inscrição prévia pela internet, e ao pagamento de uma taxa no valor de R$ 33 (análise sensorial) e R$ 44 (harmonização de cervejas e pratos).

Piri Bier para além de Pirenópolis

De acordo com o idealizador do Piri Bier e fomentador do mercado cervejeiro goiano, Ricardo Trick, a exemplo dos Estados Unidos, o Brasil também vive uma onda de crescimento de produção e de consumo da cerveja artesanal – e Goiás e o Piri Bier fazem parte disso. Não por acaso, o festival que começou em Pirenópolis passou a ter duas edições anuais: enquanto a primeira é realizada no início do ano em Pirenópolis, a segunda acontece em Goiânia, no segundo semestre. A diferença entre os festivais, para Ricardo Trick, está na rotatividade do público, que acaba sendo maior em Goiânia. “A tendência é que o Piri Bier chegue a outros lugares, como Brasília, Rio Verde e Uberlândia. Mas o nome já é forte e mesmo o pessoal de fora não quer que mude”, explica.  

É com base nesse fortalecimento que a sexta edição vai ser palco  da criação da Associação Goiana de Cerveja Artesanal (Agocerva), cuja proposta é ser um braço regional da Associação Brasileira de Cerveja Artesanal (Abracerva). Segundo Ricardo Trick, “a gente espera a união do setor para procurar novas conquistas, abrir novos mercados. No primeiro Piri Bier, fizemos a Carta de Pirenópolis, que contou com a participação inclusive dos cervejeiros de fora. Ela elencou tudo o que queríamos, direcionada aos governos estadual e federal. Já colhemos alguns frutos, como a redução do ICM”, comenta. “A gente tem que trabalhar esse tipo de política. Não pode ser só mercado predador, um querendo derrubar o outro. Temos que crescer todo mundo junto”, finaliza.  

 

 

Cerveja, pesquisa e empregabilidade 

Um dos saldos do Piri Bier está refletido também na Universidade Estadual de Goiás (UEG) de Pirenópolis, com Ricardo Trick  sendo um dos principais articuladores para implantação de um Núcleo de Estudos da Cerveja na universidade local. Tudo começou como uma proposta de devolver algo à cidade em que o primeiro festival foi realizado. “Você não pode chegar na cidade, usá-la e ir embora. Logo de início, tivemos a ideia de uma parceria com a UEG. Conseguimos um equipamento com uma fábrica em São Paulo para doar à UEG em Pirenópolis, para que fosse montado o primeiro núcleo de estudos. O reitor, professor Aroldo, abraçou a ideia. No ano seguinte, compramos mais equipamentos e a UEG finalizou a montagem. O Núcleo hoje foi aberto pra cursos de extensão – ou seja, quem não é aluno da universidade pode ir lá e fazer o curso de cerveja e a tendência é que a gente encha esse estado de pessoas formadas como cervejeiros e aptos a fabricar cerveja não só na sua casa, mas também de trabalhar em alguma cervejaria”.

Segundo  Trick, os frutos já estão sendo colhidos. “Estamos vendo várias cervejarias a serem montadas em Goiás. Tem uma nova em Pirenópolis, em Formosa, em Hidrolândia, pro lado norte do Estado... tá explodindo e vai faltar mão de obra qualificada. O mercado é muito amplo. Quanto mais cervejeiros você tiver, mais chance de despontar no mercado nacional. Então queremos que Goiás cresça e esse núcleo é um grande orgulho nosso”.

Serviço:
Sexta edição Piri Bier Goiânia 2017
Data: de 05 a 08 de outubro
Local: Passeio das Águas Shopping
Horários:
Quinta e sexta-feira (dias 5 e 6): das 18h às 2h
Sábado: das 14h às 2h
Domingo: das 14h às 20h
Ingresso: R$30 por dia
Análise sensorial: R$ 33
Harmonização: R$ 44

Categorias